sexta-feira, 13 de julho de 2007

filosofia da mente para o coração

O que a gente sente devia ser o bastante
o que a gente sabe, sem explicação
Mas estamos sempre em busca de conceitos,
lógica, definições, porquês, razão
Pra quê tudo isso?

Sentir é mais difícil do que explicar
não se aprende em livros
Motivos são fáceis de inventar:
basta um pouco de imaginação,
bom senso e boa vontade

Sentidos
Sentir
sem sentido


Qualia
conhecimento em primeira mão
o inefável,
o indelével,
o inexplicável,
certeza na primeira pessoa

Eu gosto de você assim,
de graça
Não é porque você gosta do Chico,
do Almodóvar ou do Quintana
Nem porque sua cor favorita é lilás,
ou porque também quer ir pra Londres,
e fazer o sol nascer toda manhã

Não é pelo seu senso de humor
negro,
nem por sua alma
furta-cor
Nem por tudo que você diz saber,
nem pelo que não entende sobre
amor

Foi por tudo isso que eu fiquei,
mas nada disso me trouxe aqui.

Gosto desde antes,
talvez, de sempre.
Não preciso de A+B
Para provar o que sinto

Pode ser intuição,
pode ser instinto
(de sobrevivência ou destruição)
Tanto faz.

A rosa ainda seria uma rosa,
mesmo que se chamasse
Garibaldo.

Eu não seria mais eu
se não tivesse você
ao meu lado.

_____________________________

Qualia [singular: quale, em latim e português]. Termo filosófico que define as qualidades subjectivas das experiências mentais. Por exemplo, a vermelhidão do vermelho, ou o doloroso da dor. (tem mais aqui)

2 comentários:

Tiago disse...

amorrrrrrrrrrrrrr!

te amo muito viu!

Tiago disse...

minha margarina qualia,

vc passou na minha vida, deixando um gosto bom de manhã.

beijos,


ti.