quinta-feira, 19 de julho de 2007

É

É, só pode ser amor, acho que você tem razão. Fico mais feliz ao seu lado. Sou mais eu quando estou com você. Já em sua ausência, sou toda você. Tá certo, você já sabia: só podia ser amor. Mas como foi que eu cheguei à conclusão sozinha? Logo eu que não acreditava em amor? Foi difícil, eu lhe garanto. O processo de aceitação mais lento e gradual pelo qual já passei. Começou com afeição, virou encantamento, seduziu-se com a cumplicidade, confundiu-se com amizade. No meio da fase da acomodação, espantou-se com vontade, necessidade, ciúmes e brutais saudades. Por fim veio à luz. Amor, só pode ser amor... Afeiçãozinha safada aquela, não? E agora, que nós dois sabemos disso, é melhor pararmos de perder tempo, não acha? Então, vamos correndo para o centro da Terra, onde o calor intenso vai conservar nossa chama?

2 comentários:

Tiago disse...

Sou mais eu quando estou com você. Já em sua ausência, sou toda

merece destaque e que outros textos brotem ao entorno dela.

Tiago disse...

"Sou mais eu quando estou com você. Já em sua ausência, sou toda você"


essa frase merece destaque e mais, que outros textos brotem ao entorno dela.