sábado, 15 de setembro de 2007

flor da pele

Pouso a mão sobre seu rosto,
quase sem tocá-lo.
Os dedos tremem, aflitos,
mapeando cada detalhe,
estampando em mim
a textura da sua pele

Meus sentidos se afloram
sentindo os seus,
Vagando nos versos derramados
pelo compasso da sua respiração

Enquanto dorme indefeso,
despetalo-me em alegrias,
maravilhada.
Como um bebê que ainda
não aprendeu a sentir medo.

2 comentários:

Fernanda disse...

Lu, que delícia de poesia!
Adoro quando vivemos esses momentos, de observar algupem dormir e sentir esse carinho.É incrível como nossas poesias "conversam" entre si, porque tenho uma nascendo de um momento assim.

Lu, me dá seu orkut, que eu perdi, e não lembro se te adicionei.Desse jeito, vamos ser amigas imaginárias mesmo!!!
ahuahuahauhau

beijok!

Adrielly disse...

Adoro também observar alguém dormir
mas eu sempre dormia antes
=SSSS

Fodaaa.
>/

Lu manda pra mim,
fikei curiosa
quer dizer curiosa eu já sou.
=X

drillycastro@hotmail.com

xD